Boxe da Família Hung

Blog sobre Hung Gar e Kung Fu!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Os taolus funcionam? - Parte 3

Formas e Combate

É importante notar que o mestre Xiao é um lutador bem como um homem de formas. Ele treinou extensivamente em Kuai Shuai (literalmente "quedas rápidas" ), um estilo de arremesso de Baoding na província de Hebei, semelhante ao judo ou Shuai Jiao (摔角). Ele também está envolvido com Sanda (散打) e já treinou vários lutadores campeões Sanda, bem como fez uma série 6-DVD's sobre esse esporte na China. Também é importante notar que apesar do sucesso do Xiao em Sanda, ele permanece crítico a ele, centralizando essa crítica quanto a falta de prática de formas. "Atletas Sanda não em geral não sabem taolu. Você não pode chamar de "artes marciais chinesas. 'Sanda é apenas luta."



É uma afirmação ousada, mas que ele faz pensando na história de competições de artes marciais chinesas. "No torneio de Nanjing de 1927, havia mais de seiscentos concorrentes. Cada concorrente competiu pela primeira vez com um taolu e depois no leitai (o ringue elevado onde os duelos foram travados 擂台). Agora essas modalidades são separadas, mas naquela época o taolu era categoria para qualificação e assim estar autorizado a competir no leitai. Em 1928, a competição de Hangzhou utilizou um procedimento semelhante. Nos círculos Minjian, as lutas eram chamadas de qiangshou (mão lança 枪手). Na década de 1920, houve muitas trocas usando qiangshou. Mas em 1949, a República Popular da China separou taolu do Sanda, agora, muitos professores ensinam apenas um ou o outro. Haviam três modos diferentes de ensino: taolu, Sanda, e taolu e Sanda combinados. Agora há um quarto modo: Wanquan (jogar o punho ). Seriam apenas os movimentos, sem luta. Muitos desses professores nunca lutaram. É bonito, porém inútil, mas é bom para os estudiosos. E agora, há ainda um quinto modo - dashou (Mão batida 打手), apenas luta.




"Em 1956, a República Popular da China começou a recuperar as artes marciais com a competição de taolus. Em 1981, as competições Sanda iniciaram novamente. Apenas os praticantes “Minjian” continuaram lutando o tempo todo. Hoje as competições de Sanda e taolu, assim como seus atletas são separados, agora, com o nandu, os competidores de Taolu serão obrigados a serem maiores, mais rápidos e mais flexíveis. Não há nenhuma raiz de combate nessa prática e isso prejudica o corpo. Os atletas de nandu profissionais só estão ativos até os trinta anos na melhor das hipóteses. Não há benefícios para a saúde de longa duração, nem mesmo no Taijiquan competitivo. Não há filosofia interna.

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Os Taolus funcionam? - Parte 2

Aos 65 anos o Mestre Xiao Jiaze (肖家) é mais vibrante do que boa parte dos homens de sua idade. Ele move-se com vitalidade, repleto de qi, com olhos penetrantes cheio do que os chineses chamariam de jingqishen (essência, força vital, espírito 精氣神). Ele inicia o Kung Fu Tai Chi preparado. Muitos mestres não estão acostumados a ser entrevistados, embora haja algumas celebridades que são mestres de Kung Fu, não é como ser um atleta profissional ou uma estrela de cinema, por isso alguns mestres são como cegos em tiroteio frente a uma entrevista, sem saber como apresentar-se diante de uma câmera ou de ter qualquer sentido de quais tópicos podem ser interessantes para os leitores de Tai Chi Kung Fu. Quando o Mestre Xiao entrou, ele tinha uma leva de papéis, cada um abordando diferentes temas em potenciais. Tudo isso faz parte de um projeto que ele vem trabalhando, documentando seus conhecimentos para passá-los para a próxima geração.

Imagem retirada da internet - Vila Chen - China


Mestre Xiao conhece uma vasta quantidade de formas. Ele dominou o triunvirato dos estilos internos de Kung Fu: Taijiquan, Xingyiquan e Baguazhang. Oriundo da montanha marcial mística de Emei na província de Sichuan, Xiao é bastante experiente nas regiões do sistema de Emei Pai (峨嵋 ) e favorece o desenvolvimento do seu estilo de Garra de Águia. Ele também estudou o Wudang Kung Fu, outra montanha marcial mística chinesa; ele era um estudante do Grão Mestre centenário de renome, Sr. Lu Zijian (吕紫剑) de 1993 até 2012. Além do mais, Mestre Xiao também estudou Huaquan ( ), Hongquan ( ) e uma forma rara de punho longo conhecido como Zhilimen (直隶 ). O mestre em questão estudou uma série de estilos e uma grande quantidade de formas.
Na visão do Mestre Xiao, há dois problemas com as formas praticadas hoje: o desejo de fazer formas belas, bonitas na visão do público e a falta de compreensão de professores. São críticas comuns nesse meio marcial, mas Xiao trata essas questões com uma visão mais abrangente que a maioria das pessoas. Para o primeiro problema, ele atribui ao Chengyu (“palavras fixas" literalmente ). Chengyu são as frases poéticas e idiomáticas que são usados ​​no Kung Fu para descrever e nomear técnicas, como quando Bruce Lee diz: "Movimento 34 Dragão busca caminho, Dragon chicoteia sua cauda", em Return of the Dragon (1972). Xiao elabora em mandarim, "Eles queriam torná-lo mais bonito, adicionando Chengyu. Essas expressões são coloridas. Faz-se sentir mais sofisticado. 'Ox olha para a lua (um movimento de Taijiquan - xi yue niu wang 犀牛 望月),' 'cobra se arrasta para baixo (um outro movimento Taijiquan - ela Shen xia shi 蛇身 ),' estas nomenclaturas que transformam o kung fu mais elegante, transferiu a ênfase das técnicas.



Mesmo Dong Haichuan (fundador da Baguazhang 1797-1882 董海川) e Yang Luchan (fundador do Yang Taijiquan 1799-1892 ) eram combatentes experientes. Os estilos Taijiquan e Baguazhang vieram da luta. Estes mestres sabiam do combate que existia no taolu, seus alunos não. O Taolu tinha um elemento de performance, mas mesmo com os belos nomes, havia métodos de combate lá. Muitos apenas aprenderam as formas e não as aplicaram em combate. O Taolu conecta os movimentos para torná-los mais fáceis, além de treinar outros métodos. Por exemplo, olhar para a perna levantada (fen Jiao ) em Taijiquan. Por si só, ele realmente não tem aplicações de combate. Mas é um método de treinamento bom para o equilíbrio e para chutar.
A falta de entendimento do professor é muito comum hoje em dia. Nos Estados Unidos, centros comerciais chamados “tigres de papel” (escolas de Kung Fu de ensino duvidoso) são abundantes. Mas, novamente, Mestre Xiao vê este problema como sendo proveniente de uma fonte mais antiga. "Muitas vezes o professor não tem experiência e não entende o conteúdo. O Taolu deve ser voltado ao combate, mas os professores de hoje perderam isso. Os professores mais antigos eram conservadores. Há um ditado "jiao hui tu di, ir shi laoshi (教会 徒弟, 饿死 师傅)." Isso significa “ensinar tudo e morrer de fome." Mestres conservadores só ensinam o conteúdo real aos seus discípulos selecionados. Eles não compartilham com os estudantes comuns. Observe o movimento, “Laço puxando casaco” (Zha yi lan - Observe que neste caso, Xiao está se referindo a uma técnica de Punho Longo e não o movimento de Taijiquan mais comumente atribuído). O movimento no taolu é pensado para ser um gesto de puxar para trás uma veste, como as vestes compridas que os homens usavam naqueles dias. Mas o movimento na verdade esconde um golpe no joelho.



No taolu, você costuma ver movimentos maiores, não movimentos circulares curtos, apenas um discípulo que aprendeu a técnica completa na verdade e foi ensinado para não compartilhar abertamente, porém eles precisam praticá-la também. Ai entra uma questão, como eles poderiam praticá-la se eles não poderiam compartilhar com seus colegas?

Em estilos populares de Kung Fu ou Minjian (民間), às vezes é dito que um aluno em particular tem juezhao (Técnica Mortal / habilidade única - 绝招). Os discípulos mais avançados receberam ensinamentos de técnicas juezhao (绝招), mas por ser uma técnica escondida, considerando os ensinamentos de seu mestre, seu segredo foi mantido mas eles não poderiam  praticá-la com terceiros. Nessa lógica, a técnica escondida por trás do movimentos é perdida. Em relação ao taolu, devemos praticar combate o tempo todo, testando as técnicas com outros estilos (e artes marciais) para verificar sua validade, sua eficiência.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Os Taolus Funcionam? - Parte 1

Depois de um grande hiato, retomamos as postagens. Essa matéria é traduzida da revista Kung Fu Magazine e está dividia em partes devido ao conteúdo extenso, segue aqui a primeira parte e perdoem-me qualquer erro que possa aparecer, não domino o inglês. Ao final da última postagem posto o link para conferirem a matéria na íntegra.

Tema muito atual nos grupos de Kung Fu a meu ver, a dicotomia de prática de formas X efetividade em combate. Sem mais delongas, acompanhem a visão do artigo.

As artes marciais chinesas sofrem de uma dicotomia - forma versus função. Formas são a base das artes marciais chinesas, onde temos alguns dos mais sofisticados, mais complexos e, sem dúvida, as mais belas formas de qualquer arte marcial no mundo. Nós também temos mais formas que qualquer outra cultura marcial no planeta. Mas tantas formas para fazer um currículo pesado que constantemente levanta a questão, funciona?

Jet Li no filme Batalha de Honra (Tai Chi)

Artes marciais tradicionais, seja ela chinesa, japonesa, coreana, até mesmo alguns estilos como filipina, tailandesa entre outras, têm seu fundamento na prática de formas. No entanto, hoje em dia poucos lutadores competitivos, sobretudo os do MMA, praticam formas. Isto levou muitos praticantes contemporâneos a abandonar as formas, as considerando obsoletas, mas isso é uma opinião muito limitada.

Lutadores competitivos do MMA são apenas uma pequena porcentagem da população praticantes marciais. Essa concorrência é limitada por idade e habilidade; para a maior parte, existe apenas uma pequena janela dentro da qual eles podem competir. Poucos têm a inclinação ou coragem. A prática de formas serve a uma população maior e tem um grande propósito, fora da gaiola, do “cage”.

Além do mais, a prática formas é essencial para a prática de armas. Praticar com armas de verdade só pode ser feito com formas. Você simplesmente não pode treinar com facas de forma segura; mas, ao mesmo tempo, você não pode dizer que você já domina uma lâmina sem nunca trabalhar com uma de verdade. Apesar de artes marciais chinesas afastarem-se das armas reais, e a maioria das armas são muito antiquadas para carregar por aí nas ruas, há um valor na perpetuação da prática de armas. Muitos aspectos da cultura tradicional chinesa marcial tornaram-se obsoletos, mas rejeitá-los completamente é tolice.

As formas evoluíram ao longo de gerações de praticantes e eles continuam a evoluir hoje. Outra grande crítica visa a geração atual, que se concentraram em formas apenas como desempenho artístico. No entanto, o carisma faz parte das artes marciais chinesas tradicionais, desde a ópera clássica para exames militares nos períodos dinásticos para artistas na rua vendendo pílulas duvidosas e linimentos (unguentos a base de azeites, bálsamos, etc), mas o desempenho artístico, os taolus desenvolvidos apenas para beleza é mais prevalente agora. As pessoas ainda precisam de auto-defesa, porém, hoje a arma de fogo substituiu a espada.

A geração de hoje tem acesso ao vídeo, ao cinema, e YouTube, todos os meios onde as formas podem ser apresentadas em um nível sem precedentes. Nos tempos feudais, a prática de formas eram escondidas do público em geral para ocultar suas técnicas mais mortais. Hoje em dia estão mais visíveis e acessíveis do que nunca. Nos tempos mais antigos, os praticantes de Kung Fu foram ridicularizados por terem punhos floridos e pernas bordadas (hua quan xiu tui 花拳繡腿), mas hoje em dia, com certeza fazem um ótimo vídeo para o YouTube. Formas chinesas são particularmente bonitas de se ver, especialmente com a atual tendência para nandu (movimentos de dificuldade 难度) nas competições de Wushu moderno.

Para os não praticantes de Kung Fu, as formas aparecem bastante abstratas. O termo chinês para formas, Taolu (套路) em mandarim, foi traduzido nesta revista antes. No entanto, a tradução deste termo revela a perspectiva chinesa exclusiva em formas que não são partilhadas por outras artes marciais tradicionais, por isso vale a pena repetir. Taolu é um pouco difícil de traduzir. Tao significa "case, cover, envelope ou embalagem." Lu é muitas vezes traduzido como "estrada" nas artes marciais, que não é a melhor escolha, mas o mais comum porque a maioria das ruas na China são chamadas de lu. Uma tradução melhor seria "caminho" ou "viagem".

Lam Sai Wing e o Punho da Linha de Ferro

O uso de taolu é bastante distinto quando comparado com os termos que outros estilos usam para chamar de “formas”. Os japoneses as chamam de kata que significa literalmente "forma". Japonês empresta muitos de seus caracteres escritos de chineses, de modo quando o personagem de kata é lida em chinês, é xing (), o mesmo xing como em Xingyiquan (形意拳 forma intenção punho). As formas de Taekwondo são chamados poomsae; enquanto a linguagem escrita da Coreia é mais distinta do chinês do que os caracteres japoneses, as raízes deste ideograma coreano remontam a xing () também. Assim, nas outras duas culturas marciais dominantes, as formas estão literalmente sendo chamadas de formas mesmo. Mas, para a maneira chinesa de pensar, que alude a algo muito maior, o enclausuramento de uma expressão abrangente. Um taolu é algo mais do que para ser aplicado no ringue ou ser exposto em um vídeo da web.


"Um taolu é uma meditação em movimento para a prática ao longo de toda vida."


segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Vídeo Motivacional

Nos períodos em casa, ou no trabalho quando sobra um tempo livre, sempre tenho o costume de assistir vídeos de artes marciais em geral e parkour.
Esse vídeo em específico, é motivacional e muito bom que encontrei sapeando na rede por aí.
Confere o trabalho dos caras!




terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Cinema, Kung Fu e Artes Marciais Orientais no Ocidente

Meu pai foi um ótimo praticante de Karatê Shotokan na sua juventude, seu maior incentivo a ingressar no mundo das artes marciais orientais foi assistir aos filme dos Bruce Lee e posteriormente seu ator favoito passou a ser o Van Damme. Assisti-los na telona dos cinemas derrotando inúmeros inimigos peritos em artes marciais o dava a sensação que ao praticar com perseverança também conseguiria tal feito, seria imbatível.

A maioria dos praticantes mais antigos de artes marciais, em sua juventude passou por este processo de ter contato com as artes marciais orientais primeiro pelo cinema ou enquanto estavam no início do aprendizado nesse meio, assistiam os filmes.

Qual praticante de Kung Fu que nunca assistiu a um filme desses heróis?

A propagação das artes marciais orientais para o ocidente se deu através da indústria cultural do cinema, começou lá atras com pequenas produtoras até a Shaw Brothers, fundada em 1958 começar a obter destaque no cinema nesse segmento. Basicamente havia dois "tipos" de filmes produzidos: os de ação, com toda a pompa das artes marciais chinesas tradicionais, suas lendas e heróis nacionais representados nas telas e o "wuxia" que é um modelo mais romantizado, que envolve situações amorosas ou fantasia, sempre ligados a artes marciais, um filme mais recente que explicita bem o gênero é o Clã das Adagas Voadoras.

São Paulo, Brasil, 2015. O tipo de filme que chegou aqui pra valer foram os de ação baseado nas artes marciais, graças ao Bruce Lee que conseguiu expandir e agradar o público ocidental, sem desmerecer outros atores da época, a forma cativante como era desenvolvidos seus filmes fazia com o que o público aceitasse e gostasse desse gênero, que é inclusive um subgênero de filmes de ação hoje em dia. A partir dele vieram outros "heróis" americanos, chineses, europeus e etc. Abriu as portas para o segmento e entrou no imaginário popular até os dias de hoje. Imaginário esse que exagera na concepção de realidade, vide alguns professores e mestres que reagiram a assaltos contra indivíduos armados e acabaram se dando mal, quem sabe, talvez, influenciados por esse tal imaginário do imbatível lutador.

Tal habilidade no mundo real é para poucos, Gafanhoto.

Reconheço que em outros países do oriente houveram produtoras e filmes de artes marciais orientais, mas se hoje praticamos essas artes tradicionais, se deve em grande parte a difusão do cinema pelo globo, em grande parte nos anos 70, 80 e 90. Hoje já estabelecido como segmento de ação, com reconhecidos atores e inúmeros fãs.
Você praticante ou não, que chegou a este blog, já assistiu a algum filme de luta com o dilema do herói que supera as dificuldades e se torna imbatível (ou quase)?

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

O que é kung fu?

Tempo de habilidade, disciplina, arte marcial, luta, é invocar o espírito da graça e do tigre?



Nesta sessão, deixamos o papo aberto para debate, para inciar, separei o ótimo vídeo retirado da série Marco Polo que desenvolve esses questionamentos.


quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Da Saam Sing - Batida de Três Estrelas

Da Saam Sing é um método muito comum no Hung Gar e entre alguns estilos de Kung Fu, mais especificamente os estilos do sul, segue abaixo na íntegra um artigo traduzido por um praticante para compartilhar com vocês algumas dicas para o bom desenvolvimento da técnica. 



                                           Imagem: Sifu de Mok Ga Lam Jung Wei de Cantão praticando Da Saam Sing.



12 dicas para o "Condicionamento Três Estrelas" do Hung Gar, também conhecido como "Batida de Três Estrelas" (Da Saam Sing) que é um dos métodos de treinamento mais comuns das artes marciais chinesas do sul. 
Mas para quem tem dúvidas quanto a sua correta execução, segue abaixo uma lista com doze dicas da sua metodologia de treinamento.



1 - Postura (ou base) e utilização correta dos quadris ("Movimento de Base" - Jyun Ma) é importante, isso porque o "Condicionamento Três Estrelas", assim como outros métodos de treinamentos básicos é usado para ocultar as repetições de técnicas básicas.

2 - Sempre olhe para o seu parceiro de condicionamento: Isso condiciona a sua mente a ficar atento ao seu oponente em uma disputa ou em uma luta real.

3 - Use a força de seu núcleo ("Campo de Cinábrio" - Daan Tin) virando os quadris e a coluna toráxica, mas não a coluna lombar. Use os seus músculos dorsais para juntar seus braços ao tronco, especialmente em "Formas Curtas" (Saam Sing).

4 - Apesar de Da Saam Sing fazer parte das chamadas "Artes Rígidas" (Ying Gung), ele não utiliza força bruta e poder rígido, tente deixar os seus braços mais relaxados o possível.

5 - Dê preferência em praticá-lo com um parceiro de treino, mas você também pode utilizar um poste de madeira ou até mesmo um "Boneco-de-madeira" (Muk Yan Jong).

6 - O progresso gradual é essencial: evite machucados a todo custo. Eles vão acontecer, especialmente se você está iniciando neste condicionamento, mas eles não são sinais do seu aumento de resistência. Dependendo do machucado, você pode ter que suspender o treinamento por algum tempo. Se possível, use o Dit Da jow, preferencialmente antes e depois da prática.

7 - Faça Giro de Braços (Sau Lyun) depois do "Condicionamento Três Estrelas", praticando a "Arte do Afrouxamento" (Fong Sung Gung).

8 - Não se limite apenas à forma básica deste condicionamento: utilize suas variantes como formas laterais, formas curtas, etc.

9 - Não faça "competição" no Da Saam Sing, isso porque uma forma dura não significa necessariamente que você é bom de luta. Há um ditado que diz "Ele sabe bater forte, mas não sabe lutar", sendo que o mesmo pode ser observado na técnica do Win Chun "Mãos Viscosas" (Chi Sau) ou nas "Mãos Propulsoras" do Taijiquan. Elas não representam uma aplicação direta de luta mas sim um condicionamento.

10- Trabalhe em "habilidades internas", como "Três Extensões" (Saam Jin Sau), "Forma de Ouro" (Ding Gam Kiu), as primeiras partes de formas (Tao Lu) básicas que sejam voltadas ao "Treinamento Interno" como "Arte das Doze Formas" (Sap Yi Kiu Gung) ou "Linha de Ferro" (Tit Sin Kyun).

11- Não se esqueça de aprimorar as suas outras "armas". Se você prefere usar os punhos, trabalhe no condicionamento de punhos, se prefere usar as palmas trabalhe suas mãos, e assim por diante.

12 - Quando for necessário usa as suas Formas para se defender, caso contrário você não estará aproveitando suas habilidades de forma completa, mas lembre-se de usá-las de forma prática: uma defesa pode ser tão efetiva quanto um ataque direto quando executada de forma correta.

Fonte:
Traduzido e adaptado por Antônio de Faria do site: Pratical Hung Kyun 


Popular Posts

Recent Posts

Unordered List

Text Widget

Receba Atualizações por Email

Sample Text

To get the latest update of me and my works

>> <<